Politica

Américo de Jesus Vaz denuncia perseguição política por denunciar irregularidades no Bloco Democrático

armandomaquengo
Mai 27, 2022

O político angolano, Américo de Jesus Valentim Vaz, membro do Conselho Nacional e da Comissão Política do Bloco Democrático, denunciou à imprensa nacional e internacional que, por denunciar graves violações aos estatutos do partido está a ser vítima de perseguição política.

Por: Armando Maquengo

As violações, foram participadas a CNJF (Comissão Nacional de Jurisdição e Fiscalização) através de dois (2) requerimentos, entre os quais, um sobre os actos praticados na primeira reunião do Conselho Nacional, CN, e outro referente a eleição do secretário do CN e dos membros da Comissão Política, CP, e mais outros três (3) requerimentos, um sobre a indicação dos comissários eleitorais, o segundo sobre desvio do valor do pagamento da renda da sede do Huambo e um terceiro, relativo a uma petição para responsabilização de órgãos.

No total, foram 5 (cinco) requerimentos, participados e recepcionados pelo Conselho Nacional de Jurisdição e Fiscalização CNJF, partilhados na página do WhatsApp do Conselho Nacional com mais de 55 membros.

Relativamente, aos requerimentos sobre os comissários eleitorais e do valor da renda da sede do Huambo, os mesmos dados avançam que foram vazados e noticiados pela imprensa, a CNJF que, em consequência, instaurou um inquérito e concluiu no mesmo que Américo de Jesus Valentim Vaz, terá sido o autor do vazamento do documento à imprensa, aplicando-lhe uma sanção de suspensão do partido até 3 anos.

De declarante para arguido e condenado

A sanção disciplinar, ora aplicada, será registrada na ficha de inscrição, devendo abster-se de se pronunciar em nome e no interesse do partido durante o referido período de tempo.

“Por quanto, entendemos tratar-se de um conjunto de medidas com um roteiro concertado e definido, e que apesar de se mostrarem sem fundamentos bastante, os reflexos só podem pender para a mera inibição do livre exercício dos direitos políticos do visado enquanto militante com responsabilidades relevantes no partido, num acto de pura violação ao princípio democrático vigente e consagrado pelos Estatutos do BD”, conforme se lê no documento.

Entretanto, com esta medida disciplinar, o político Américo de Jesus Valentim Vaz, fica impedido de concorrer em 2025 ao cargo de presidente do Bloco Democrático.