Economia

Angola antecipa pagamento da dívida à China com receita do petróleo

manuelsumbo
Jun 28, 2022

O aumento nos preços do petróleo, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, está a prejudicar muitas economias, mas está a ajudar Angola, o segundo maior produtor de petróleo na África subsaariana, a reduzir a dívida aos credores chineses.

A dívida de Angola à China desceu 351 milhões de dólares no primeiro trimestre deste ano, para 21,4 mil milhões, de acordo com a consultora REDD Intelligence, citada pelo jornal South China Morning Post.

“De acordo com a consultora de mercado REDD Intelligence, a dívida a credores chineses desceu 351 milhões USD (331 milhões de euros) no primeiro trimestre deste ano, para 21,4 mil milhões USD (20,2 mil milhões de euros), depois de se ter mantido estável nos 22 mil milhões USD (20,7 mil milhões de euros) nos últimos dois anos”, lê-se na edição em inglês do jornal chinês.

O aumento nos preços do petróleo, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, está a prejudicar muitas economias, mas está a ajudar Angola, o segundo maior produtor de petróleo na África subsaariana, a reduzir a dívida aos credores chineses.

As receitas do País subiram de 1,4 mil milhões USD (1,3 mil milhões USD), em Abril deste ano, para 2,1 mil milhões USD (1,9 mil milhões de euros) em Maio, de acordo com os dados do Governo, e o preço do barril estava acima dos 110 USD na sexta-feira, o que representa perto do dobro face aos 57 USD previstos no Orçamento para este ano.

Os pagamentos aos credores chineses começaram no primeiro trimestre do ano, 18 meses antes do previsto, já que a suspensão do serviço de dívida apontava para que os pagamentos recomeçassem apenas no final do primeiro semestre do próximo ano.

Mercado