Economia

Angola pode aceder a fundos de 10 mil milhões de dólares para geração de energia

joaquimjose
Mar 29, 2022

A Plataforma “Sustenable Energy For All” – Energia Sustentável para Todos, baseada em Viena, na Áustria, quer ajudar as autoridades angolanas a acederem a um fundo internacional de 10 mil milhões de dólares para a geração de energia, através de fontes renováveis.

Esta intenção foi revelada, segunda-feira, no Dubai, pelo director de relações internacionais e Projectos Especiais da plataforma que trabalha na mobilização de investimentos a favor de países interessados em projectos de energias renováveis.

Glenn Pearce-Oroz disse ao Jornal de Angola que vários países africanos têm beneficiado desta abertura do fórum global sobre energias renováveis e que Angola precisa também alinhar.

O responsável assumiu ter vindo ao “World Government Summit”, iniciativa do Ministério da Economia dos Emirados Árabes Unidos, para garantir que as autoridades de Angola sejam parte da iniciativa “Sustenable Energy For All”.

Conforme detalhou Glenn Pearce-Oroz, o fundo global, trata-se de uma iniciativa aprovada em Novembro do ano passado, em Glasgow, na Escócia, discutido durante a realização do fórum Cop26 e do qual já alguns países africanos estão a beneficiar. Vários Governos e empresas, abordam no evento as perspectivas para o futuro sob o formato B2B “Business to Business”, que consiste em se colocarem frente-a-frente duas empresas para fazerem acordos, e também em B2C “Business to Customer”, modelo em que a relação é directa entre a empresa e o consumidor final dos seus produtos.

Glenn Peare-Oroz falou com a imprensa angolana à margem da conferência, tendo garantido que tem buscado nos diversos fóruns garantir que países africanos, e Angola é também um caso, possam melhorar o acesso à electricidade das pessoas nas regiões rurais, uma vez que o problema das cidades ser, na maioria das vezes, respondido com fontes de electricidade.

O “World Government Summit” iniciou segunda-feira e decorre até amanhã, no Centro de Conferências do Dubai “Dubai Exhibition Center”. Está organizado por via de painéis temáticos a abordar como os países podem, em conjunto, gerar uma solidariedade internacional de promoção e mobilização de investimentos.

Americanos querem parcerias

O comissário do Estado norte-americano de Flórida, Micheal Udine, disse que pretende estabelecer parcerias com empresários angolanos, que buscam vantagens comparativas e competitivas junto de investidores dos Estados Unidos da América.

Apesar de não ter estado em Angola e não possuir contacto directo com empresas, empresários nem autoridades do Governo, o representante da Federação de Flórida foi ao Dubai a frente de uma comitiva da “Broward County”, para pessoalmente identificar junto dos angolanos os eventuais sectores de cooperação.

Michael Udine apontou as áreas das Tecnologias, Agricultura, Minas e mesmo “startups” como aquelas que, numa primeira fase, podem tirar vantagens desse interesse norte-americano em relação ao mercado angolano, onde já actuam muitas outras empresas do seu país, conforme reconheceu.

Já o comissário da Cidade de Miramar, distrito de Flórida, Maxwell Chambers, que representa o Governo da Jamaica, disse que o Congresso Mundial de Governos, de iniciativa dos Emirados, é uma plataforma para promover novas parcerias.

Para ele, a Cidade de Miramar pode ser um destino de investidores angolanos que sintam ter capital para também alargar sua influência em outros mercados.

Da parte de Miramar, há interesse em descobrir como podem ser maximizadas as oportunidades à volta do ambiente de crescimento económico que Angola tem revelado, recorrendo às informações de entidades oficiais.

Fonte: Jornal de Angola