Saúde

Campanha de rastreio do cancro com 70 casos positivos na Huíla

manuelsumbo
Out 31, 2022

Pelo menos 70 das 401 mulheres que aderiram a Campanha de rastreio do cancro da mama, promovida pelo centro de Oncologia do hospital Central e Maternidade do Lubango apresentaram sintomas, como corrimentos, secreções e nódulos.

A campanha, no âmbito do “Outubro Rosa” iniciou dia 14 do mês em curso e terminou na sexta-feira, 28, com a previsão de rastrear 500 mulheres a partir dos 40 anos de idade, com média diária de atendimento de 50.

A informação foi avançada à ANGOP, nesta segunda-feira, no Lubango, pela coordenadora provincial do registo do cancro na Huíla, Eliane Azevedo, que afirmou que as restantes mulheres, 301 não apresentaram qualquer sintoma no exame da apalpação.

Declarou que todas passaram por um exame físico e aquelas que tiveram algum achado ou as que não, foram encaminhadas para fazer um exame de mamografia e ecografia, uma vez que o rastreio passa, não só pela análise física, mas pelo de imagem.

“Dessas mulheres vamos ver que resultados apresentam, aquelas que tiveram alguma neoplasia benigna ou maligna vamos chamar para fazer a consulta”, disse.

Realçou que a maior parte das mulheres que receberam foram ligadas à uma denominação religiosa, fruto de uma palestra que a maternidade promoveu, outras são funcionárias do hospital central e da maternidade.

Referiu que a ideia é manter a campanha todos os meses de Outubro, sendo que agora, o objectivo é fazer uma base de dados e no próximo rastreio convocá-las para que façam o rastreio com uma regularidade de dois anos.

O “Outubro Rosa”, mês de conscientização da doença, consubstancia-se numa campanha com o objectivo de aumentar a consciência de que cancro da mama é uma patologia com grande incidência, alta taxa de prevalência e se for detectada precocemente tem maior probabilidade de cura.

O cancro da mama é uma neoplasia (crescimento ou proliferação anormal, autónoma e descontrolada de um determinado tecido do corpo) que tem origem nos tecidos mamários, geralmente nos ductos (tubos que transportam o leite para o mamilo) ou nos lóbulos (glândulas que produzem o leite).