Politica

CASA-CE diz que coligação não vai “atirar a toalha ao tapete”

armandomaquengo
Ago 30, 2022

O presidente da CASA-CE, Manuel Fernandes, assegura que a agremiação partidária não vai “atirar a toalha ao tapete”, apesar do descalabro originado pela perda de todos os mandatos no Parlamento.

Enquanto isso, a coligação reúne provas para mostrar que foi afastada de forma fraudulenta e deselegante do Parlamento, pela CNE.

“Vamos ter que nos reinventar para aguentarmos este período que vai até 2027”, afirmou o político, em conversa com a VOA.

Fernandes anunciou que os quatro partidos integrantes vão ter “um encontro de reflexão para avaliarmos com realismo onde é que a gente falhou do ponto de vista estratégico e depois decidirmos qual vai ser o rumo a seguir”.

O presidente da coligação olha para as eleições autárquicas como um novo desafio que se coloca à CASA-CE e afirma que “os momentos de crises também são momentos de oportunidades”.

O líder da CASA-CE reconheceu que a organização estava consciente de que a crise de liderança, que resultou no afastamento do líder-fundador Abel Chivukuvuku iria pesar nos resultados eleitorais.

“Devemos reconhecer que as crises que tivemos nos levariam a um resultado não muito bem conseguido como desejaríamos, mas nunca azero deputado”, disse.

Ainda assim, o político disse que a organização “foi afastada de forma fraudulenta e deselegante do Parlamento, pela CNE, não por vontade popular ou por nossas fracas capacidades políticas. Nós reconhecemos o nosso potencial e a prova é que os dados divulgados não vão ao encontro à realidade”.

Manuel Fernandes concluiu que a plataforma está a juntar provas reveladoras de que “os mandatos foram-nos retirado pela CNE porque os números que foram anunciados não são reais”.