Saúde

Executivo diz que vai estender serviços de hemodiálise em todo país e anuncia construção de 205 unidades de saúde

armandomaquengo
Out 17, 2022

O governo angolano, anunciou que o Sistema Nacional de Saúde será reforçado e melhorado, com a entrada em funcionamento de cerca de 205 unidades sanitárias nos próximo cinco anos.


A garantia foi dada pelo Presidente da República, João Lourenço, durante a apresentação sobre o estado da Nação, este sábado, 15 de Outubro, na Abertura do Ano Parlamentar da V Legislatura, na Assembleia Nacional.

De acordo com Presidente da República, o Executivo vai continuar a fortalecer o Sistema Nacional de Saúde, garantindo os cuidados de saúde primários, melhorando o financiamento do sector, aumentando e optimizando os recursos humanos.

“Vamos concluir e construir 205 unidades de saúde dos três níveis de assistência”, assegurou, garantiu o Presidente João Lourenço.

De acordo com o Titular do Poder Executivo, já estão em cursos as obras dos hospitais gerais de Caxito, Ndalatando, Sumbe, Ondjiva, Dundo, Uíge, Mbanza Congo, Malanje, Viana, Cacuaco, Catumbela, Bailundo, bem como do Hospital Geral e Hospital Materno-Infantil de Benguela, da Huíla, do Hospital Pediátrico do Huambo, da nova Unidade de Tratamento dos Queimados e do Serviço de Oncologia no Complexo Hospitalar Cardeal Dom Alexandre do Nascimento.

Neste segundo mandato, o Executivo também vai alargar os serviços de hemodiálise para todas as províncias, com pelo menos uma unidade em cada capital.

João Lourenço garantiu a realização de concursos públicos até 2024, para dar resposta ao crescimento da população e ao aumento crescente das infra-estruturas.

“O nosso foco estará virado para o desenvolvimento do capital humano com um incremento das acções de formação, capacitação, especialização e o desenvolvimento das carreiras dos quadros do sector, estando neste momento em curso a admissão de oito mil novos profissionais”.

O Governo vai continuar a expandir a rede sanitária, priorizando as unidades dos cuidados de saúde primários, de modo a dar resposta às necessidades de saúde dos cidadãos e ao crescimento demográfico.

Em todas as capitais de província, disse João Lourenço, haverá hospitais com capacidade de resolução de problemas de média e alta complexidade, para a redução das evacuações de doentes para Luanda e para o exterior do país, passando o cidadão a resolver os seus problemas de saúde próximo da sua família e do seu local de trabalho.

O Presidente da República disse ainda que o país está a criar condições para, num futuro próximo, adquirir capacidade para ter uma indústria de produção de medicamentos, de vacinas e produtos médicos e laboratórios de controlo de qualidade, para uma maior autonomia nestes domínios.