Economia

Frutas nacionais entre produtos mais solicitados para exportação 

joaquimjose
Mar 03, 2022

A banana, o maracujá, a papaia e o ananás estão entre os produtos agrícolas nacionais mais requisitados para a exportação fora do sector petrolífero, informou, hoje, quinta-feira, em Luanda, o presidente da Comunidade das Empresas Exportadoras Internacionalizadas de Angola (CEEIA), Agostinho Kapaia.

Já há pedidos de vários países que querem a nossa fruta como é o caso do Egipto que manifestou essa vontade, recentemente, na feira de Damão, cidade da Índia, e vimos o mesmo interesse em outros países africanos, europeus e asiáticos”, destacou, em declarações à imprensa, à margem de um workshop sobre comércio de serviços.

No evento realizado no âmbito do protocolo sobre o comércio de serviços da Comunidade dos Países da África Austral (SADC) e da Zona de Comercio Livre Continental Africana (ZCLCA), apelou a necessidade de se aumentar a capacidade e a qualidade da produção interna.

Sobre a assinatura dos protocolos, Agostinho Kapaia referiu que estes trarão muitas vantagens, como a maior abertura através ZCCLA, maior mercado para as empresas angolanas e naturalmente possibilidade de mais informações sobre o que se produz em termos de bens e serviços em África.

Acrescentou que “o próximo passo agora passa pela capacitação do empresariado privado e o investimento na produção nacional de modos a que se possa ter a capacidade de produzir para o mercado local e também para exportar”.

Obviamente que teremos também vantagens na medida em que poderemos ter acesso aos bens e serviços dos países africanos, sem necessidade de importar da China, América ou Brasil, uma vez que temos produtos aqui no Botswana, Zâmbia, Nigéria, África do Sul, entre outros, que facto poderá ser mais fácil”, prognosticou.

Produção nacional de fruta

De acordo com o Relatório da Campanha Agrícola (RCA) 2019/2020, a quantidade desses bens produzidos em Angola é suficiente para satisfazer as necessidades do mercado nacional, sem se recorrer à importação, facto que torna o país autónomo na sua produção e distribuição.

Por exemplo, até 2020, Angola era o maior produtor africano de banana e sétimo no mundo, com uma oferta de 4,4 milhões de toneladas, segundo a tabela do Fundo das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), publicada naquele ano.

A classificação do ano em causa reporta a produção de 2019, período em que a Índia continuava a liderar a lista de países produtores de banana, com cerca de 26,6 por cento da oferta, seguida da China (9,7%), Indonésia (6,3%), Brasil (5,8%) e Equador (5,6%), formando o TOP 5.

Há mais de seis anos que Angola se declarou auto-suficiente na produção de banana, fruta mais cultivada e consumida no mundo, sendo as províncias do Bengo e de Benguela as principais produtoras dessa fruta.

Segundo estatísticas, em 2020, o ananás se destacou com a colheita de 637 mil 630 toneladas (11,1%); os citrinos (laranja, limão e tangerina) com uma cifra de 436 mil 086 toneladas (+5%); a manga com 248 mil 036 toneladas (+4,8%); e o abacate com a colheita de 52 mil 488 toneladas (+1,1%).

Fonte: Angop