Politica

General Higino considera que Tchizé só diz inverdades ao ser acusado de cumplicidade na morte de JES

armandomaquengo
Jul 12, 2022

O General Higino Carneiro, em reacção nesta segunda-feira, 11 de julho, no local da cerimónia de homenagem ao antigo Chefe de Estado, afirmou que a circunstância faz com que a empresária angolana, Tchizé dos Santos, profira acusações contra si.

O antigo governador de Luanda, Higino Carneiro, respondia aos pronunciamentos de Tchizé, segundo as quais, este general terá sido cúmplice na morte de José Eduardo dos Santos.

Também, disse à imprensa, segundo dados que Angola24horas teve acesso, que Tchizé está habituada a dizer inverdades e que, dada as circunstâncias actuais pela perda do pai, isto se entende.

“Compreendo, portanto, ela só diz inverdades, mas temos que entender. Portanto é a circunstância”, considerou Higino.

Muito recentemente, o General angolano, Francisco Higino Lopes Carneiro, disse que, infelizmente, nunca geriu nada que fosse do Emérito Presidente do MPLA e da República de Angola, José Eduardo dos Santos, soube Angola24horas.

De acordo com Higino Carneiro, se assim tivesse acontecido, de certeza, muito embora não se sinta na condição de empresário, pois, nunca na sua vida tenha gerido empresa alguma, provavelmente teria dado conselhos para que a Fazenda Belo Horizonte de Calulo, tivesse maior organização e optimização na produtividade.

“Se alguma vez, algo fiz, foi para encontrar gestores, a seu pedido, para colocar a fazenda conforme sua vontade e desejo. Mais do que isso não fiz”, assegurou o general Carneiro.

Assim, lamentou o facto de que se tenha tentado vender a ideia contrária do que acaba de revelar. “Tudo que foi publicado e que envolve o meu nome é falso”, finalizou.

Na altura, informações davam conta que durante o período em que esteve em Angola, José Eduardo dos Santos convocou Maria Luísa Abrantes, antiga companheira, para lhe passar uma procuração para que esta ficasse com uma extensa fazenda que o ex-presidente da República detém na província do Cuanza-Sul.

Nas mesmas informações, lia-se que a referida fazenda andou sob tutela do general Higino Carneiro, durante muitos anos, mas que, somente agora Eduardo dos Santos decidiu retirar a propriedade das mãos do citado general.

“JES teria inicialmente chamado Higino Carneiro em sua casa no miramar, em Luanda, para lhe dar conta que iria receber a gestão da propriedade, mas este por alegada indisponibilidade não atendeu as convocatórias do seu antigo líder”, segundo ainda consta.