Actualidade

Idosos são acusados de feitiçaria e abandonados pela família em Benguela

manuelsumbo
Mai 11, 2022

Número de idosos abandonados pelos familiares na província de Benguela aumentou nos últimos anos. Acusações de feitiçaria, tentativa de usurpação de bens e conflitos familiares estão na origem de alguns casos.

O Lar Girassol, no município do Lobito, tem capacidade para acolher 50 pessoas, mas devido à degradação e requalificação da sua infraestrutura tem sob seu controlo 23 utentes.

O lar tem 13 dormitórios com três camas em cada quarto, um refeitório, um consultório médico e outros compartimentos. Rosário Lourenço, director do Lar Girassol, comenta os motivos que levam os idosos aos lares de terceira idade.

“Foram abandonados por questões de feitiçaria, outros devido aos maus-tratos no seio familiar. E muitos deles têm os seus filhos com capacidade para assegurar esses idosos”, disse.

A casa de idosos enfrenta dificuldades de falta de técnicos de saúde para assegurar um serviço 24 horas por dia. Muitos desses idosos sofrem de desnutrição severa, conta à DW Rosário Lourenço.

“Com medicamentos, não temos muitos problemas. Quando nós encontramos casos complicados, temos de recorrer ao hospital. Um técnico não é suficiente para esses serviços. Temos idosos e cada um apresenta a sua patologia. Temos pessoas com AVC, reumatismo, outros têm problemas de intestinos e outras doenças básicas”, explica ainda o director, recordando que o Lar Girassol registou três óbitos em 2021.

O responsável do departamento da Acção Social do Gabinete Provincial, Família e Igualdade de Género de Benguela, António Victorino, manifestou-se preocupado com o aumento de casos de idosos abandonados nas ruas da província, mas não quis gravar uma entrevista.

O Governo controla cerca de 177 idosos nos cinco lares de acolhimento na província, dois públicos e três privados.