Saúde

Josina Machel realiza campanha de correcção de lábio leporino

armandomaquengo
Jan 19, 2023

O hospital Josina Machel promove de 7 a 14 de Fevereiro, na província do Bié, a segunda fase da campanha de cirurgias gratuitas de correcção de fenda palatina e lábio  leporino.

O lábio leporino é uma separação superior, normalmente logo abaixo do nariz, enquanto a fenda palatina é uma abertura na parte do céu da boca (o palato) que causa uma abertura anómala para dentro do nariz.

O lábio leporino e a fenda palatina frequentemente ocorrem ao mesmo tempo, e podem ser diagnosticados ainda durante a gestação.

A campanha, que decorrerá sob o lema “Com um rosto saudável, sorriso confiante, auto-estima , inclusão social garantido”, vai permitir a operação de mais de cem crianças e adultos diagnosticados com lábio leporino no Bié e localidades vizinhas.

As cirurgias serão realizadas no hospital “Dr. Walter  Strangway”, na cidade do Kuito, e contarão com a participação de 22 profissionais, entre médicos cirúrgicos de maxilo-facial e anestesiologistas.

Na primeira fase da campanha, que decorreu em Setembro de 2022, foram operadas 153 crianças vindas de vários pontos do país.

A equipa médica desta campanha apela aos pais com crianças com esta deficiência a recorrer com confiança para a realização da cirurgia, para ajuda-los a recuperar o auto-estima e a vontade de ser feliz.

De acordo com o especialista de maxilo- facial, Agnelo Lucamba , anteriormente o estado gastava muito dinheiro ao enviar as crianças para o exterior do país a fim de serem operadas.

“Hoje, com os especialistas de maxilo-facial , já é possível realizar estas cirurgias localmente, com muita qualidade e a custo zero” frisou.

Explicou que a cirurgia é rápida , com duração de 45 minutos a uma hora, sendo que muitas vezes o paciente pode receber alta médica no mesmo dia.

O especialista realçou que o atendimento a essas crianças não termina com a cirurgia, por existir um trabalho multidisciplinar a posterior, envolvendo especialistas de fono-audialogia (que trata da fala), estomatologistas, otorrino e psicologia, para  garantir melhor desenvolvimento do paciente.

“Por conta da má formação dos lábios e da fenda do palato, essas pessoas falam de forma anasaladas (o som sai pelo nariz), tem problemas de deglutir alimentos e, com isso, adquirem vários problemas no estômago, alem de outras referentes a audição”, explicou.

O médico avançou que, por meio de consultas periódicas e ecografias morfológicas, é possível saber  as características do bebé que vai nascer para evitar reacções estranhas de muitas mulheres quando recebem os filhos ao colo, pela primeira vez, e qualquer mulher está a susceptível a nascer um filho com esta deformação.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2013, esta malformação congénita foi responsável por cerca de três mil mortes em todo o mundo.