Economia

Kwanza valoriza face às moedas estrangeiras

armandomaquengo
Ago 29, 2022

A moeda nacional apreciou 28,61% face ao dólar e 40,99% face ao Euro no primeiro semestre deste ano, de acordo com as contas do Banco Nacional de Angola (BNA).

A taxa de câmbio do kwanza em relação ao dólar norte-americano (USD/AOA) ao longo do semestre apresentou uma trajectória descendente, sendo que cada dólar (1 USD) valia 555 Kz em Dezembro de 2021 e em Junho passou a valer 428,21 Kz, o que corresponde a apreciação de 28,61%.

Já a taxa de câmbio do Kwanza face ao Euro (EUR/AOA) passou de 1 USD a 629 Kz para em 446,1 Kz no mesmo período, justificando o ganho de 41,0%.

O Banco Central justifica que a apreciação do Kwanza deve-se a estabilidade do mercado cambial face à diversidade de fontes de aquisição de moeda estrangeira a partir da plataforma da Blomberg (FXGO), nomeadamente, o Tesouro Nacional, as empresas do sector petrolífero e diamantífero e, pontualmente, o BNA.

A maior disponibilidade de moeda estrangeira no mercado cambial foi impulsionada pelo aumento do preço de petróleo nos mercados internacionais e consequente aumento das receitas de exportação, bem como da captação de recursos provenientes de financiamentos externos, com grande destaque a emissão de títulos de dívida soberana nos mercados internacionais (Eurobonds).

De acordo com o BNA, com a liberalização do mercado cambial, a determinação da taxa de câmbio resulta da interacção entre a procura e oferta de moeda, ou seja, em função da dinâmica do mercado cambial, reflectindo deste modo o preço da moeda.

Para o economista e consultor Augusto Fernandes, a taxa de câmbio actual não reflecte a lei da procura e oferta.

“O nível de aumento de oferta de divisa deveria se reflectir no aumento da apreciação ou valorização do kwanza, porém o BNA e certos grupos empresariais defendem o kwanza apreciado de tal formas que a paridade entre o dólar e kwanza esteja entre os 300-390 kz/usd, não é benéfico para certa produção nacional que ainda é muito residual, todavia a autoridade reguladora do mercado cambial diz que o kwanza atingiu o valor de equilíbrio, porém é preciso deixar o mercado auto definir o valor de equilíbrio entre o kwanza e o dólar”, aponta Augusto Fernandes em declarações ao Mercado.