Saúde

Luanda regista mais de 100 novos casos de lepra

manuelsumbo
Jan 28, 2022

As autoridades sanitárias do País controlam mil e 887 casos de lepra  e em tratamento desde 2005, altura em que Angola alcançou a meta da eliminação da doença, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A organização Mundial da Saúde considera que a meta de eliminação é de um doente por dez mil habitantes, tendo o país atingido este objectivo em 13 das 18 províncias.

O dia 29 de Janeiro é comemorado em todos os países que até ao momento continuam a notificar acima de 1000 casos por ano.

O dia Mundial de Combate à lepra representa uma oportunidade para reflectir sobre a doença e desenvolver-se uma ampla campanha de sensibilização e educação com foco na prevenção, procura da unidade sanitária logo após o início dos primeiros sinais e sintomas da doença, diagnóstico e tratamento precoces.

Causada por uma bactéria que ataca a pele e o sistema nervoso, a lepra é uma doença transmitida de uma pessoa doente, que não esteja em tratamento, para outra saudável.

Os primeiros sintomas da doença demoram em geral entre dois a cinco anos para aparecerem. O portador do “bacilo de Hansen”, que causa a lepra, apresenta sinais e sintomas na pele e no sistema nervoso que facilitam o diagnóstico médico.

A lepra pode atingir crianças, adultos e pessoas idosas de todas as classes sociais, sem distinção, desde que tenham um contacto intenso e prolongado com o ”bacilo de Hansen”.

A contaminação é feita por via respiratória, pelas secreções nasais ou pela saliva de pessoa infectada. A doença pode causar incapacidade ou deformidades, quando não for tratada atempadamente.

Os medicamentos para o tratamento da lepra são gratuitos e distribuídos nas unidades de saúde onde o programa é implantado, de acordo com as orientações do Ministério da Saúde.

Fonte: Angop