Actualidade

Marginais que destruíram 36 hectares da fazenda Santa Rita provocam prejuízos de 5 milhões

joaquimjose
Jul 21, 2023

Os marginais não identificados que destruíram com fogo trinta e seis hectares, dos 200 existentes na Fazenda Santa Rita, na comuna de Galangue, município do Cuvango, província da Huíla, provocaram prejuízos avaliados em cinco milhões de kwanzas, disse à Angop a proprietária da Fazenda.

Segundo a proprietária da Fazenda, Rita Francisca de Jesus Domingos, é um investimento que tem já mais de 20 anos e em 2017 atingiu o pico na produção, ao colher 85 toneladas de produtos diversos, produção que em 2022 caiu para metade, devido a estiagem e o acto desta semana vai atrasar os planos de colheita.

Rita Francisca de Jesus Domingos indicou ainda que os meliantes “agiram em completa má-fé”.

De acordo com a Angop, os criminosos atearam fogo no período nocturno e vandalizaram mais de sete mil plantações de milho, ananás, mandioca e citrinos, numa superfície que laboram mais de 150 famílias.

Sobre o assunto, o porta-voz em exercício do serviço de protecção civil e bombeiros, na Huíla, Francisco Matias, sublinhou que tomaram conhecimento, mas em função da hora não foi possível atender prontamente e extinguir o incêndio.

O seu homólogo do Comando Provincial da Polícia Nacional, inspector Benedito Walter, afirmou que a corporação já despoletou um trabalho de investigação para a captura dos autores do crime, mas que ainda não há sinal.

A fazenda Santa Rita, localiza-se na comuna de Galangue 95 quilómetros da sede municipal do Cuvango, que dista 356 quilómetros a Leste do Lubango e tem uma população estimada em 103 mil 262.