Actualidade

Zango: Obras na “Vala da Morte” ficam concluídas este ano

armandomaquengo
Out 07, 2022

As mortes registadas, por afogamento e acidentes de viação, no interior e perímetro da conhecida “Vala da Morte”, no Zango 2, município de Viana, podem reduzir, significativamente, na sequência dos trabalhos de manutenção a serem efectuados na área.

A intervenção, uma iniciativa do Governo Provincial de Luanda, conforme o JA, incide sobre a limpeza da vala de drenagem, recuperação das barreiras laterais e a colocação de novas pontes metálicas sobre a mesma.

Os trabalhos, a cargo da empresa Zone White, sob a supervisão do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) e acompanhamento técnico da Administração Municipal de Viana, incluem, ainda, a iluminação e colocação de sinalização horizontal na via rodoviária e o ajustamento no retorno junto à vala.

O administrador municipal de Viana disse, à imprensa, na sequência de uma visita aos trabalhos em curso, que desta forma vai ser possível reduzir, significativamente, o número de sinistros registados no interior da vala e no perímetro desta.

Demétrio de Sepúlveda destacou também a importância da intervenção, justificando que vai ajudar na travessia de pedestres sobre a vala, assim como de viaturas, sem o risco de caírem no local, por distracção. “Vamos fazer os cortes às saliências sobre o retorno, onde as viaturas em circulação embatiam e acabavam por cair na vala”.

As obras, adiantou, retomam com aceleração, por orientação do governador de Luanda, Manuel Homem, preocupado, numa visita de trabalho, com o número de incidentes registados no local, nos últimos anos, num total de 20 mortes, das quais nove ocorridas este ano. “O número de sinistros registados naquela zona, quer por afogamento, ou de acidentes de viação, era preocupante. Por isso, a intervenção está a ser imediata”, disse o administrador, para quem após conclusão dos trabalhos a vala deveria mudar de denominação.

“É uma vala de macro-drenagem, a céu aberto, por isso deve estar permanentemente limpa, para que as águas não permaneçam paradas por acúmulo de resíduos e sigam o curso normal em direcção ao Zango 4”, explicou, além de pedir aos moradores para não jogarem lixo na vala.