Actualidade

OMS aconselha homens a reduzir número de parceiros sexuais para evitar contrair Monkeypox

manuelsumbo
Jul 28, 2022

O director-geral da organização apelou aos homens em risco de contraírem a doença que considerem a possibilidade de reduzir o número de parceiros, de forma a evitar contrair a Monkeypox.

Tedros Adhanom Ghebreyesus referiu que 98 por cento dos casos de Monkeypox detectados, desde os primeiros registados em maio se deram entre homens homossexuais, bissexuais ou que têm relações sexuais com outros homens.

Apelou por isso a que adoptem comportamentos defensivos, para se protegerem.

“Isso implica tomar decisões seguras para si mesmos e para outros, para homens que têm sexo com outros homens”, afirmou o director da OMS. “Isto inclui, para já, reduzir o seu número de parceiros sexuais”.

Indivíduos infeciosos deveriam isolar-se e evitar encontros que impliquem contacto físico de proximidade, enquanto as pessoas deveriam ficar com os contactos de quaisquer novos parceiros sexuais em caso de necessidade de acompanhamento futuro, acrescentou Ghebreyesus.

A OMS tem vindo a avisar que a doença pode infectar qualquer pessoa, sendo transmissível através de contacto próximos com um paciente ou com as suas roupas e lençóis contaminados.

A doença pode ainda ser mais grave em populações vulneráveis como crianças e mulheres grávidas.

“Sabemos muito bem que um dos principais meios de exposição a esta doença em particular é através do contacto directo, contacto próximo, contactos pele-com-pele, possivelmente até contacto cara a cara e exposição a pingos ou vírus que possam encontrar-se na boca”, afirmou a principal responsável técnica da OMS para a Monkeypox, Drª Rosamund Lewis.

O Centro de Controlo e Prevenção das Doenças norte-americano não sugeriu que homens que têm relações sexuais com homens reduzam o seu número de parceiros, apenas que evitem contacto de pele com pele com pessoas com irritações cutâneas que possam ser Monkeypox.