Saúde

OMS em Angola reconhece empenho do Executivo

armandomaquengo
Mar 23, 2022

Angola soube, no momento certo, criar e implementar as medidas necessárias, que permitiram controlar a expansão em grandes níveis, avaliou a representante da Organização Mundial da Saúde (OMS), Djamila Cabral.

Em declarações ao Jornal de Angola, Djamila Cabral felicitou as entidades decisoras do país, os profissionais de saúde, voluntários, parceiros estratégicos e a população em geral, pelo abnegado trabalho em prol do combate à Covid-19.

Ao longo das quatro vagas de surtos da Covid-19, referiu, o país manteve uma baixa incidência de casos e uma recuperação satisfatória dos períodos de transmissão comunitária.

O reforço da vigilância epidemiológica, o fortalecimento do sistema de laboratórios, equipamentos, a capacidade do pessoal, a criação de centros de tratamento, bem como a concretização do processo de vacinação, em quase 70 por cento, são algumas das medidas acertadas.

Os indicadores-chave da última vaga da Covid-19 que afectou o país mostram uma baixa probabilidade de ressurgimento do vírus, devido às medidas levadas a cabo pelas autoridades nacionais e os seus parceiros, avaliou a responsável.

Djamila Cabral disse ser importante reter que a pandemia não acabou, independentemente do baixo índice de transmissão.

“Temos de completar as doses de vacinas recomendadas e usar máscara facial de forma correcta”.

Acrescentou que a ausência de casos severos nas unidades de cuidados intensivos e a queda acentuada de número de óbitos apontam que o país está a testemunhar uma significativa baixa de transmissão do vírus.