Cultura

Paulo Flores dá triplo concerto na Casa 70 em Luanda

armandomaquengo
Abr 05, 2022

O terceiro concerto de Paulo Flores na Casa 70, em Luanda, inicialmente agendado como o último, realizado na noite de sábado, foi marcado por emoções. Devido à procura de bilhetes para o regresso do artista e sua banda neste espaço cultural, a organização teve de realizar um espetáculo extra.

Com mais de duas dezenas de músicas, que contam a história de uma nação, o tema “País que Nasceu o Meu Pai”, foi cantado em uníssono pela assistência, transformando-se num dos momentos mais emocionantes do concerto.

A canção esteve numa sequência no bloco acústico no qual foram interpretados, canções como “Minha Velha”, “Xica Feia” e “Si Bu Sta Dianti na Luta”, num dueto com o guineense Manecas Costa. As guitarras estiveram em evidência, com Kiari Flores, filho do artista que partilhou o palco com gigantes como Pírica Duia.

A parceria com o finado Galiano Neto esteve em “Makalakato”, no alinhamento onde outros temas com amigos mexeu a sala, com destaque para “Njila ya Dikanga” e “Poema do Semba”, duetos originais com Yuri da Cunha e Carlos Burity. No primeiro teve Kiari, no dueto. Em palco, “Ti Paulito” partilhou a canção “Inocente”, com Carla Moreno, cantora que deu o seu toque a este clássico.

O músico foi forçado a regressar em palco e concluiu a festa com “Serenata a Angola” e “Isua Ioso”. Paulo Flores apresentou na fase inicial temas do álbum “Independência”, com realce para “Heróis da Foto”, “Jeito Alegre de Chorar” e “Semba Original”.

Músicas como “Maravilhoso 72”, “A Carta”, “Garina”, “Kunanga de Amor”, “Coração Farrapo”, “Boda” e “Cherry”, primeiro sucesso de Paulo Flores, também fizeram parte do “alimento” dos concertos.

Paulo Flores mostrou-se satisfeito com as três noites e expectante com o concerto extra. Zeca Castelo Branco, o apresentador dos concertos, reconheceu que o artista e sua banda realizam espectáculos memoráveis e que pareciam que tinham fome de apresentarem-se em palco. O músico está a realizar o “Luanda Tour” e antes da Casa 70, na Rua da Liberdade, na Vila Alice, passou pelo Luanda Beach e Market Food.

As últimas actuações de Paulo Flores têm sido marcadas pela presença do filho Kiari, antes visto nas congas e agora como um dos guitarristas e em duetos.

Carlos Cunha, o responsável da Casa 70, não ficou indiferente e destacou a preocupação da passagem de testemunho, a mesma que acompanhou com Cabé, pai de Paulo Flores, que introduziu e apoiou nos meandros da música angolana, o artista que se considera o “First One do Semba”.

Fonte: JA