Actualidade

Pelo menos 41 mortos após incêndio em igreja no Egipto

manuelsumbo
Ago 15, 2022

Pelo menos 41 pessoas morreram e outras 14 ficaram feridas na sequência de um incêndio ocorrido numa igreja na cidade de Cairo, de acordo com agência Reuters.

Segundo duas fontes das forças de segurança contaram à Reuters, a maioria das vítimas mortais são crianças.

De acordo com as primeiras investigações, o incêndio na igreja de Abu Sifine, no bairro popular de Imbaba, ocorreu, em consequência de uma falha eléctrica, durante um culto religioso em homenagem a São Mercúrio de Cesareia que reuniu centenas de fiéis.

As chamas e o fumo acabaram por provocar uma debandada desordenada, segundo fontes do Ministério do Interior ao jornal egípcio Al Ahram.

A Igreja Copta disse que o fogo está controlado, mas os bombeiros estão a realizar operações de arrefecimento que impedem o acesso à igreja, pelo que o número de mortos pode aumentar nas próximas horas.

“Mobilizei todos os serviços estatais para garantir que todas as medidas sejam tomadas”, reagiu o presidente egípcio Abdel Fattah al-Sissi na sua conta no Facebook.

A Procuradoria anunciou também a abertura de uma investigação e enviou uma equipa ao local para apurar as razões do início do incêndio, enquanto o Ministério da Saúde indicou ter enviado dezenas de ambulâncias.

No Cairo, com cerca de 9,5 milhões de habitantes, incêndios acidentais são comuns.

Em março de 2021, pelo menos 20 pessoas morreram num incêndio numa fábrica têxtil nos subúrbios do leste do Cairo.

Em 2020, dois incêndios em hospitais tiraram a vida a 14 pacientes com Covid-19.

Os coptas sofreram represálias de radicais islâmicos, principalmente depois da queda do presidente Mohamed Morsi e da subida de Al-Sisi ao poder em 2013, com igrejas, escolas e casas incendiadas.

Abdel Fattah al-Sissi nomeou recentemente, pela primeira vez na história do Egipto, um juiz copta para chefiar o Tribunal Constitucional.