Actualidade

Praias reabrem hoje, após cinco meses encerradas

joaquimjose
Mar 05, 2022

As praias em Angola reabrem hoje, após terem sido encerradas a 1 de Outubro de 2021, conforme anunciou, na mais recente actualização da situação pandémica do país, o coordenador da comissão multissetorial de combate à Covid-19, Francisco Furtado.

Na ocasião, o ministro de Estado e também chefe da Casa Militar do Presidente da República salientou que a pandemia “está controlada em todo o país”, razão pela qual foram anunciadas novas medidas para fazer face à doença Covid-19.

Todavia, Francisco Furtado ressalvou a necessidade de se continuarem a observar as regras de biossegurança, designadamente o uso de máscara, distanciamento social e manutenção da higienização.

Angola está a chegar ao fim da quarta vaga, mas tal só será possível se se continuar a respeitar as regras”, frisou.

A proibição do acesso às praias, piscinas e marinas em Angola entrou em vigor em 1 de Outubro de 2021, apenas duas semanas depois de estes espaços de lazer terem sido reabertos.

Os espaços tinham sido reabertos em 16 de Setembro de 2021, depois de mais de ano e meio de interdição, e o encerramento foi decretado duas semanas depois da reabertura, devido ao aumento significativo de casos positivos durante o mês de Setembro, com uma taxa de crescimento de cerca de 13%.

Na sua intervenção, Francisco Furtado sublinhou a necessidade de todos terem a vacinação completa (duas doses), ou seja, têm que fazer prova, através do certificado de vacinação, sob pena da interdição de acesso a espaços públicos e fechados, em instituições públicas e privadas.

No caso do acesso aos locais de trabalho, também quem não tem as duas doses de vacina está impossibilitado de entrar e lhe é averbada falta.

A reabertura das praias, piscinas e marinas ocorre apenas agora, porque antes tinham de ser adaptados mecanismos de controlo e de segurança desses espaços. Nas demais actividades, como acesso a estabelecimentos comerciais, frequência de cerimónias religiosas, espectáculos desportivos e de outro tipo e uso de transportes públicos, as novas medidas entraram em vigor a 1 de Março e permanecerão até 31 próximo.

Nas situações que começaram a vigorar a 1 de Março, deixou de haver limitação de lotação, mas é sempre exigida a apresentação do certificado de vacinação com referência à toma das duas doses de vacina.

Depois de 31 de Março, em função da evolução da pandemia no país, a comissão multissetorial anunciará eventuais alterações ao que passou a vigorar a partir de 1 de Março.

Quanto às viagens no interior de Angola e nas chegadas através das fronteiras terrestres e nos aeroportos internacionais, a entrada no país está limitada a quem apresenta certificado de vacinação com duas doses de vacina.

No caso das entradas no país, quem não tem a segunda dose é imunizado no local, mas tem obrigatoriamente que se sujeitar a uma quarentena/isolamento de sete dias.

Combate

Angola gastou 40,6 mil milhões de kwanzas em acções de prevenção e combate à Covid-19 no segundo trimestre de 2021, diz relatório aprovado, quinta-feira, pela Assembleia Nacional.

Segundo o relatório de execução do Orçamento Geral do Estado (OGE) referente ao segundo trimestre de 2021, a execução da despesa para a prevenção e combate da pandemia nesse período atingiu uma taxa de execução na ordem dos 46%.

Em relação à categoria das despesas, do valor global executado no referido trimestre, 40,2 mil milhões de kwanzas foram gastos em despesas com bens e serviços e 387 milhões de kwanzas em despesas de capital.

O documento, apresentado na quarta-feira ao parlamento pela ministra das Finanças, Vera Daves, foi aprovado quinta-feira, após a sua discussão, na sequência da sexta reunião plenária extraordinária referente à quinta sessão legislativa da quarta legislatura.

O plenário da Assembleia Nacional aprovou o relatório com 166 votos favoráveis, 41 votos contra e cinco abstenções.

Fonte: Jornal de Angola