Cultura

Prodígio fala sobre política: “Seguimos todos menos os bajus”

joaquimjose
Ago 27, 2022

Osvaldo Moniz, ou simplesmente Prodígio falou sobre política e deixou uma mensagem longa aos jovens angolanos, através da sua rede social, onde realçou que “seguimos todos menos os bajus”.

Por: Joaquim José

Os resultados provisórios divulgados pela Comissão eleitoral (CNE) dão vitória ao MPLA com 51,07 por cento, seguido a UNITA, com 44,5 nas eleições gerais de 24 de Agosto em Angola, tem sido alvo de muitas críticas dos jovens nas redes sociais. Prodígio, no Instagram deixou a sua opinião.

“Desculpa mamã, mas o teu filho já tem idade para falar política. Tenho muito orgulho daquilo que nos tornamos e estou esperançoso olhando para aquilo que podemos vir a ser. Quem me conhece sabe que eu sou por Angola e, tenho sido a minha vida inteira, por isso é escusado dizer que, se tu és por Angola eu sou por ti”, começa por dizer.

“Não vou dizer a ninguém o que fazer, mas acho que ficou claro que muita coisa foi ultrapassada. Gostaria de lembrar aos jovens que as grandes coisas não são feitas por impulso, mas sim com serenidade e muita atenção. ‘Se querem ser ouvidos, falem como quem merece ser ouvido’ de forma madura e respeitosa, não só com os cotas, mas entre nós também”. “Não se distraiam! Gastem apenas energia com o que conseguem controlar e, ou, influenciar. Cuidado com os discursos separatistas entre vocês e, sobretudo não ataquem o silêncio, aprendam com ele”, apelou.

“O que parece pode não ser o que é, e o que é pode nem parecer, então informem-se mesmo, não sejam emocionais, muita calma nessa hora. Preparem-se mesmo porque este país é o vosso porque o futuro já aconteceu, são vocês”, disse.

Lembrar também aos cotas, realçou o rapper, está na hora de ouvir os jovens, alguém tem de começar a conversa para vocês passarem a ‘tocha’ como deve ser. “Nós somos os próximos vocês”. Acrescenta que, não precisamos mais de distanciamento, o Covid já não significa muito para nós.

“Os resultados finais satisfaçam quem votou porque felizmente nós estamos vivos e podemos festejar ou reclamar e seguir o caminho democrático em direção a realidade que queremos, depois seguimos todos fazendo o que podemos fazer por esta terra que muitos de nós amam”, disse.

O rapper angolano adianta que, segue partilhando a sua verdade na arte que faz e na sua rede social, onde tem contribuído para o bem-estar de todos nós: “amo mais os angolanos do que este pedaço de terra que chamamos de Angola”, disse.

Ainda na mensagem acrescenta que “Seguimos Todos menos os bajus.” A bajulação é um conceito desatualizado que já não precisa de existir, vamos todos apoiar o que estiver certo e criticar o que estiver errado. Ou comemos todos ou não come ninguém”, finalizou.