Actualidade

Taxistas em Luanda podem começar a usar bilhetes de passagem

armandomaquengo
Out 28, 2022

Os táxis colectivos que operam em Luanda em viaturas de cor azul e branco podem passar, em breve, a fazer cobranças das viagens por meio de bilhetes de passagens, sob a responsabilidade da Empresa Nacional de Gestão do Sistema de Bilhética Integrada (ENBI).

A medida resulta de um encontro de trabalho que a direcção daquela empresa pública manteve com as principais associações de táxis em Luanda, nesta quinta-feira, 27, na sede da ENBI, durante o qual, os responsáveis da referida empresa apresentaram às associações de táxis que operam na capital do país, o seu modelo de negócio e buscar um protocolo de entendimento e cooperação para aceitação do passe Giramais nos táxis e sua eventual integração no Sistema Nacional de Bilhética Integrada.

O Presidente da Comissão Executiva da ENBI, Mário Nsingi, defendeu a necessidade de criação de um grupo de trabalho integrada por membros de direcção da sua empresa e das associações de taxistas, proporcionar condições para assinatura do memorando de entendimento e cooperação que irá guiar todas acções subsequentes para a concretização dos objectivos definidos.

Mário Nsingi, que orientou a reunião, disse que com a inclusão dos Táxis no SNBI, os beneficiários dos passes sociais poderão ter a possibilidade de viajar nos táxis pagando a diferença entre o valor da corrida e a percentagem de bonificação do passe.

“Um estudante bonificado à 100%, por exemplo, considerando a tarifa actual dos transportes públicos, poderá pagar apenas 50 kz, sendo os 100Kz de diferença pagos pelo estado ao taxista, por via da ENBI”, exemplificou, na sua explicação.

Os representantes das associações de taxistas, presentes no encontro, mostraram satisfação em relação a iniciativa de incluir os táxis colectivos no sistema integrado de bilhética.

O Presidente da Associação de Taxistas de Angola (ATA),  Rafael Inácio, afirmou que a possibilidade de integração dos Táxis no SNBI irá permitir a inserção dos seus associados nas políticas públicas do executivo, bem como a formalização da sua actividade. Referiu que os membros associados da ATA “estão empenhados e vêm com bastante entusiasmo a possibilidade que se abre, fazendo votos que esta iniciativa possa se concretizar o mais breve possível”.

Entre as vantagens apresentadas, da inclusão dos Taxistas no Sistema Nacional de Bilhética, destaque para os passageiros, que passam a ter diversidade de opções de viagem e de mobilidade, usando os bilhetes e passes GiraMais, bem como maior segurança, pelo facto de as viaturas azul e branca, integradas na plataforma estarão melhor identificados, incluindo os dados do motorista e respectivo cobrador.

Enquanto para os Taxistas e Proprietários, a vantagem estende-se no aumento da procura, trazendo novos grupos de passageiros e um incremento das receitas, maior segurança na arrecadação de valores, com menos dinheiro circulando a bordo, acesso a apoios para formalização da actividade bem como o acesso à Segurança Social para os trabalhadores envolvidos.

Ao Estado garante-se a expansão mais rápida da rede de transportes e dos benefícios do SNBI a todas as províncias, assegurando equidade territorial e bem estar das populações, maior formalização de um importante sector dos transportes e da economia, no espírito e objectivos do Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI), tal como facilitar o trabalho das forças de defesa e segurança na resolução de casos de assaltos nos táxis.

Participaram da reunião, os representantes da Associação de Taxistas de Angola (ATA), Associação Nova Aliança dos Taxistas de Angola (ANATA) e membros da ENBI. Ambas associações representam cerca de 55 mil associados, dos quais cerca de 30 mil em serviço de táxi, segundo números avançados pelas duas associações.

CK