Actualidade

UNTA-CS quer mais mulheres nos sindicatos

armandomaquengo
Mar 07, 2022

A presidente do Comité Nacional da Mulher na Unta-Confederação Sindical, Finda Virgínia, defendeu hoje, segunda-feira, no Lubango, na Huíla, maior adesão das mulheres aos sindicatos, como forma de melhor de fazerem-se ouvir e reclamar os seus direitos.

Falando à ANGOP, por ocasião do 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, a assinalar-se nesta terça-feira, a sindicalista fez saber que o Comité da Mulher Sindicalizada pretende durante as jornadas Março-Mulher incentivar que as mulheres adiram lideranças de sindicatos, onde actualmente o número é residual.

Para ela, só com mais senhoras nos sindicatos será possível alterar a forma de pensar daqueles que ainda optam por práticas antissociais que impedem o direito e a oportunidade de trabalho às mulheres.

Por outro lado, enalteceu a luta e conquistas da mulher angolana nos últimos dez anos, o que a catapultou para cargos de liderança no aparelho do Estado e na política.

Considerou que graças à sua determinação, bravura e coragem, essa franja da sociedade conseguiu promover a igualdade de género e contribuir para o empoderamento feminino.

Segundo ela, é imprescindível, nessa data, que se faça uma reflexão sobre o futuro em que toda mulher possa ocupar no espaço público, com dignidade e segurança.

Ainda assim, segundo a fonte, é preciso colmatar a injustiça sobre as mulher nos lares e não só, a exploração sexual a discriminação que hoje ainda persistem.

A presidente do comité da Unta-confederação sindical trabalhou por algumas horas na Huíla onde constatou o envolvimento das mulheres no sindicalismo, no âmbito do 8 de Março, dedicado internacionalmente à mulher.