Actualidade

Zelenskiy diz que tropas russas se reúnem para nova ofensiva no leste da Ucrânia

joaquimjose
Abr 11, 2022

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse nesta segunda-feira que milhares de soldados russos estão se reunindo para uma nova ofensiva no leste, e a Rússia disse que não interromperá sua operação militar na Ucrânia para novas negociações de paz.

A inteligência britânica disse que as forças ucranianas já repeliram vários ataques russos nas regiões orientais.

As forças russas também estavam pressionando para estabelecer o controle sobre a cidade portuária de Mariupol, no Sul, o eixo central entre as áreas controladas pelos russos a oeste e leste e já devastada por semanas de cerco e bombardeio.

“Há dezenas de milhares de mortos, mas mesmo assim, os russos não estão parando sua ofensiva”, disse Zelenskiy ao parlamento sul-coreano por videolink. A Reuters não pôde verificar a precisão de sua estimativa.

Zelenskiy também apelou a Seul para fornecer ajuda militar ao seu país para reforçar sua luta contra o ataque russo.

A invasão – que a Rússia chama de “operação militar especial” – deixou um rastro de morte ou destruição que atraiu a condenação de países ocidentais e provocou preocupação com as ambições mais amplas de Putin.

Cerca de um quarto da população de 44 milhões da Ucrânia foi forçada a deixar suas casas, cidades transformadas em escombros e milhares de pessoas foram mortas ou feridas – muitas delas civis.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que o Kremlin não interromperá suas operações em nenhuma nova rodada de negociações de paz, acusando Kiev de não retribuir em sessões anteriores.

Lavrov disse à televisão estatal que não vê motivo para não continuar com as negociações. Mas embora o presidente russo, Vladimir Putin, tenha ordenado a suspensão da ação militar durante um primeiro turno em fevereiro, a posição de Moscou mudou, disse ele.

“Foi tomada a decisão de que durante as próximas rodadas de negociações não haveria pausa (na ação militar) enquanto um acordo final não for alcançado”, disse Lavrov.

O líder austríaco Karl Nehammer deve se encontrar com Putin em Moscou na segunda-feira e deve pedir o fim do conflito. Seria o primeiro encontro cara a cara de Putin com um líder da União Europeia desde que a invasão da Rússia começou em 24 de fevereiro .

“Isso deve parar!” Nehammer escreveu no Twitter.

Por enquanto, pelo menos, as forças russas abandonaram sua tentativa de capturar a capital Kiev, mas estão redobrando seus esforços no leste.

O Ministério da Defesa britânico disse que os bombardeios russos continuam nas regiões de Donetsk e Luhansk. Mas as forças ucranianas revidaram vários ataques e destruíram tanques, veículos e equipamentos de artilharia russos, disse em seu boletim regular de inteligência.

“VAMOS RESPONDER”

Zelenskiy manteve sua campanha para gerar apoio internacional e reunir seus compatriotas.

Dirigindo-se ao parlamento sul-coreano, ele disse que a Rússia está concentrando dezenas de milhares de soldados para a próxima ofensiva. Ele pediu a Seul qualquer ajuda militar que pudesse fornecer.

Desde que a Rússia invadiu, Zelenskiy apelou às potências ocidentais para fornecer mais ajuda de defesa e punir Moscou com sanções mais duras, incluindo embargos às suas exportações de energia.

Zelenskiy também disse que Mariupol foi destruída. Jornalistas da Reuters no domingo viram vários tanques russos descendo uma estrada em direção à cidade.

O Ministério da Defesa da Rússia disse que mísseis lançados do mar russos destruíram no domingo sistemas de mísseis antiaéreos S-300 que foram fornecidos à Ucrânia por um país europeu. Os sistemas estavam escondidos em um hangar nos arredores de Dnipro, no centro da Ucrânia, disse. A Reuters não pôde confirmar isso.

CIVIL INDICADOS A FUGIR

O número crescente de baixas civis desencadeou uma ampla condenação internacional e novas sanções.

O governador de Luhansk, Serhiy Gaidai, falando à televisão ucraniana na segunda-feira, disse que os bombardeios na região estão aumentando dia a dia.

“A situação mais difícil está nas cidades de Rubizhne e Popasna. Elas estão sendo bombardeadas constantemente, 24 horas por dia”, disse Gaidai.

Ele exortou todos os civis a evacuar. “Aqueles que queriam sair já foram embora, enquanto agora muitos são deixados em abrigos antibombas que talvez estejam com medo de sair dos abrigos ou com medo de perder seus pertences.”

Moscou rejeitou as acusações de crimes de guerra da Ucrânia e de países ocidentais. O país negou repetidamente ter como alvo civis e diz que seu objetivo é desmilitarizar e erradicar nacionalistas perigosos em seu vizinho do sul. A Ucrânia e as nações ocidentais descartaram isso como um pretexto infundado para a guerra.

A ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, falando antes de uma reunião de ministros europeus em Luxemburgo, disse que Berlim viu “indicações maciças” de crimes de guerra na Ucrânia.

CUSTO ECONÔMICO

O banco francês Société Générale (SOGN.PA) tornou-se a última empresa a se retirar da Rússia, concordando em vender sua participação no Rosbank e nas subsidiárias de seguros do banco russo para a Interros Capital, empresa ligada ao bilionário Vladimir Potanin.

A invasão russa desencadeou uma enxurrada de sanções financeiras dos Estados Unidos, Europa e Grã-Bretanha, levando empresas ocidentais a vender seus ativos russos.