Actualidade

Zelensky reforça abdicar da adesão à NATO em troca de cessar-fogo

manuelsumbo
Mar 22, 2022

Presidente ucraniano apelou novamente a uma reunião com o seu homólogo russo.

Numa entrevista a canais de televisão ucranianos, o presidente, Volodymyr Zelensky, reforçou na segunda-feira estar preparado para discutir um compromisso de não insistir na adesão à NATO em troca de um cessar-fogo, da retirada das tropas russas e de garantias de segurança para a Ucrânia.

“É um compromisso para todos: para o Ocidente, que não sabe o que fazer connosco em relação à NATO, para a Ucrânia, que quer garantias de segurança, e para a Rússia, que não quer a expansão da NATO”, disse o chefe de estado, citado pela Associated Press.

O presidente pediu mais uma vez um encontro com homólogo russo, Vladimir Putin, justificando que, sem uma reunião, será impossível determinar se a Rússia tem intenções de colocar um ponto final na guerra.

Zelensky adiantou ainda que Kyiv está preparada para discutir o estatuto da Crimeia e da região de Donbass, tomada por separatistas pró-Rússia, após um cessar-fogo e garantias de segurança.

O chefe de estado já reconheceu, no dia 15 deste mês, que a Ucrânia não poderá integrar a NATO, uma das exigências da Rússia para terminar a guerra, revelando que os ucranianos estão a tomar consciência dessa impossibilidade.

“Ouvimos durante anos que as portas estavam abertas, mas também ouvimos dizer que não podíamos aderir. Esta é a verdade e temos de a reconhecer”, disse, na altura, horas antes de receber em Kyiv os primeiros-ministros da Polónia, Mateusz Morawiecki, da República Checa, Pietr Fiala, e da Eslovénia, Janez Jansa.

Também numa entrevista ao canal televisivo norte-americano ABC, no início do mês, Zelensky disse estar disponível para um “compromisso” sobre o estatuto dos territórios separatistas no leste da Ucrânia, adiantando ter moderado a sua posição quanto à adesão do país à NATO, quando percebeu que a organização não estava pronta para aceitar a Ucrânia.